Arquivos

Camino – 7° dia

Hoje o plano era andar de Sarria a Portomarín. Lembra que nós evitamos o trecho montanhoso porque seria difícil subir com o carrinho? Pois é, nós achamos que o trecho de Sarria em diante seria mais tranquilo… segura aí.

Antes de virmos, estávamos na dúvida se deveríamos comprar outro carrinho ou não. Nós temos um duplo, mas as rodas são pequenas e de plástico,  então pensamos que seria difícil empurrar fora de terreno plano e pavimentado. Estávamos certos! Compramos um daqueles que se usa para fazer cooper mas que pode ser também puxado por bicicleta (desculpem a falta de fotos como exemplo, estou postando pelo celular).

Aquele era bem pesado e também era muito largo! Não passava nem na porta da nossa casa, fiquei imaginando entrar nas “tiendas” ou até nos hotéis com ele… desistimos (até porque eu não queria ter que desmontar o tal carrinho toda vez que fosse entrar ou sair da minha propria casa depois da viagem). Vendemos esse e compramos o atual: Jane Twin Jogging Buggy. É esse azul que você vê nas fotos.

Tínhamos pouco tempo pra comprar. Esse era usado, estava barato,  mas compramos principalmente por ter pneus e ter rodas maiores que as do nosso. Ah, e pra viajar de RyanAir ele tem que ser uma peça só,  não pode ser aqueles com 2 ou 3 peças que se encaixam. Esse cabia nos nossos requisitos. Mas ATENÇÃO, se você está pensando em trazer um carrinho pra crianças para O Camino,  certifiqu-se de que ele é leve o suficiente para você poder levantá-lo e carregá-lo. Isso VAI ser necessário.

Retomando o dia de hoje, eu pessoalmente curti muito pouco. A paisagem era linda, as meninas gostaram, mas eu comecei a sentir dor nas pernas e nas bolhas (companheiras desde o 2° dia) logo cedo… encontramos muitos oobstáculos no trajeto. Mais de uma vez passamos por trechos como o da foto abaixo.

De um lado água,  do outro água no meio pedras. Uma distante da outra e numa largura que não cabe o carrinho… graças a Deus tinha gente por perto nessa hora, e nos ajudaram. A Evelyn achou o maior barato ir pulando as pedras (nós pedimos pra ela descer do carrinho pra ficar mais leve, ela pesa 17kg!) e a Melissa curtiu mais ainda o carrinho voador! Que bom que elas se divertiram, pra mim não foi divertido…

Foram dois ou três episódios com água assim, além das subidas e descidas íngremes. Aí encontramos a lama… Não uma poça, uns 200m do trajeto de lama que dava pra atolar até a canela! Novamente pedimos pra Evelyn descer, orientamos para que andasse só pelos cantos onde não havia lama e levantamos o carrinho de novo. Meus tênis e meias ficaram pesados de tanta lama. E quando saímos do lamaçal,  onde estava a Evelyn? Com os dois pés enfiados na lama… as mamães que me lêem podem imaginar a minha cara de frustração.

Foi o dia mais puxado até agora. Subidas e descidas intermináveis e muito íngremes Ter que carregar o carrinho, terreno cheio de pedras, a dor nas pernas e pés desde o começo do dia.

O que fez valer a pena, de verdade, foram as conversas que tivemos. Eu não acredito em coincidências,  acredito que Deus tinha um propósito para cada pessoas que encontramos. Esses encontros fizeram o meu dia valer a pena. Fico feliz que o Esdras está se sentindo realizado por termos conseguido andar os 22,5km propostos pra hoje, fico feliz que as minhas filhas se divertiram, a parte da caminhada não foi o que completou o meu dia…

Eu não vim só pra caminhar. Caminhar foi a parte amarga de hoje. Mas as conversas fizeram valer a pena.

Orem por essas pessoas com que conversamos. Orem para que o Espírito Santo abra o entendimento e elas vejam que só existe salvação em Jesus! Eu creio pela salvação dessas pessoas! É por isso que eu vim.

Leave a Reply