Arquivos

Camino – 11° dia

Hoje é o penúltimo dia da nossa caminhada.
Depois de termos descansado ontem, os nossos pés e pernas estavam recuperados o suficiente para andarmos até a próxima acomodação. Enviamos a mochila grande novamente e seguimos caminhando de Brea (o Pino) com destino a Lavacolla. A maior parte desse trecho não foi difícil, poucas subidas e a maior parte do caminho foi no meio da mata, então tínhamos uma sombra gostosa. Paramos pra comer num lugar que tinha este cartaz:

“Não temos wifi (conversem entre vocês)” Achei muito digno :) o que mais se vê são pessoas nas mesas dos bares e restaurantes olhando pros seus próprios telefones. Reforçou mais ainda a minha vontade de ter uma caixa escrito “deposite aqui o seu celular/tablet” na entrada da minha casa.

Depois de mais da metade do nosso caminho ter sido tranquila, começaram as subidonas. Uma bem longa até chegar ao aeroporto de Santiago (o Camino contorna o aeroporto.) Paramos pra descansar e tomar um sorvete de novo. Ainda bem que paramos porque depois do aeroporto foram subidas sem fim até chegarmos à nossa acomodação.
Sabíamos que era em Lavacolla, e um pperegrino que eencontramos nos disse que esse era o lugar onde os peregrinos se lavavam antes de chegar a Santiago, pra não chegar com cheiro muito ruim. E o tal incensário da Catedral era aceso justamente pra disfarçar o cheiro dos peregrinos na catedral, senão as pessoas não conseguiam assistir à missa. (Atualmente, segundo ele, alguém tem que pagar para acender o incensário).

Antes de sairmos eu perguntei pro Esdras se a nossa acomodação de hoje era hotel, ele me disse que era pensão. Acho que nessa viagem só não ficamos em albergues públicos até agora, já ficamos em albergue privado, em hostal, em pensão, em apartamento (em Madri) e em hotel.
Quando ele me falou pensão, pensei logo no que foram as outras pensões da viagem, um quarto com banheiro compartilhado, e teríamos que jantar fora porque eles não podem servir comida.
Mas fui surpreendida. É um hotel, tem até cozinha no quarto. E acabamos jantando aqui mesmo, por estarmos cansados da caminhada (e, por favor, sem mais subidas). Foi a melhor janta até agora!
Aqui também tem moedas nas paredes, como encontramos em tantas outras acomodações e restaurantes mas dessa vez eu resolvi perguntar o porquê.

As meninas já aprenderam que essas elas não podem pegar, mas resolvi perguntar o porquê das tais moedas. O dono daqui me disse que as pessoas deixam como recordação delas pra dar sorte pro estabelecimento. Mas ele disse que a parte da sorte não funciona hehehe!

Estamos indo dormir. Nos vemos amanhã em Santiago de Compostela!

 

Perto de Vilamaior em Lavacolla: ”O único caminho para Deus é Jesus. Faça esse Caminho!” (Não fomos nós que escrevemos na parede mas essa também é a nossa mensagem!)

Leave a Reply